Projeção Financeira para Clínicas – 5 Métodos Comprovados

  1. Home
  2. »
  3. Finanças
  4. »
  5. Projeção Financeira para Clínicas – 5 Métodos Comprovados

Sumário

Você já parou para pensar no impacto que um planejamento financeiro pode ter no futuro do seu negócio? Não estamos falando apenas de números e relatórios, mas de um guia para tomar decisões informadas que garantem o crescimento sustentável da sua prática.

Uma projeção financeira bem elaborada vai além da simples previsão de entradas e saídas de caixa. Ela envolve uma análise detalhada que ajuda a identificar oportunidades de melhoria, áreas que necessitam de atenção e estratégias para maximizar o retorno sobre investimentos. Para clínicas e consultórios, isso significa ter o poder de antever cenários, adaptar-se a mudanças no mercado e, o mais importante, garantir uma operação financeiramente saudável.

Neste artigo, abordaremos cinco métodos comprovados para realizar projeções financeiras eficazes. Cada um deles é projetado para fornecer insights que podem ajudar a orientar sua clínica ou consultório em direção a um futuro promissor. Se você está buscando maneiras de aprimorar a gestão financeira da sua prática médica, convido você a seguir nesta leitura. 

análise de projeção financeira para clínicas

O que é projeção financeira para clínicas?

A projeção financeira trata-se de uma previsão ou estimativa dos fluxos de caixa futuros, receitas e despesas que um negócio espera ter em um determinado período. Para os gestores de clínicas, é uma forma de antecipar os resultados financeiros, permitindo planejar, adaptar e tomar decisões informadas com confiança.

Ela oferece uma visão do potencial de crescimento e dos desafios financeiros à frente, possibilitando aos gestores tomar medidas para garantir a saúde financeira do negócio. Com uma projeção precisa, é possível identificar necessidades de investimento, oportunidades de redução de custos e estratégias para aumentar a rentabilidade.

Mas como se diferencia a projeção financeira de outras análises financeiras? Embora possa parecer semelhante a conceitos como orçamentos, previsões e análises de viabilidade, a projeção financeira tem características próprias:

  • Projeção Financeira vs. Orçamento: O orçamento é um plano financeiro detalhado para um período futuro, geralmente um ano, que define as metas de receitas e despesas da clínica. Enquanto o orçamento é um alvo a ser atingido, a projeção financeira é uma estimativa realista de onde a clínica espera estar, considerando variáveis do mercado e internas.

  • Projeção Financeira vs. Previsão Financeira: Embora os termos sejam frequentemente usados de forma intercambiável, há uma distinção. A previsão financeira tende a ser de curto prazo, focada em períodos mais imediatos, e é usada para ajustes operacionais rápidos. Já a projeção financeira é mais abrangente e de longo prazo, fundamentada em objetivos estratégicos e planos de expansão.

  • Projeção Financeira vs. Análise de Viabilidade: A análise de viabilidade é uma avaliação detalhada para determinar a viabilidade de um projeto específico, como a expansão de serviços ou a abertura de uma nova localização. Enquanto isso, a projeção financeira pode incluir várias análises de viabilidade como parte de um plano financeiro mais amplo.

1. Análise Histórica das Finanças

A análise histórica das finanças é fundamental para qualquer clínica ou consultório médico que deseje projetar suas finanças futuras com precisão. Este método envolve uma análise detalhada dos dados financeiros passados para identificar padrões, tendências e sazonalidades que podem influenciar as receitas e despesas futuras. Abordaremos como você pode utilizar essas informações para embasar suas projeções financeiras e por que é crucial entender os padrões e sazonalidades no fluxo de caixa.

Utilizando Dados Financeiros Passados

Comece compilando seus relatórios financeiros dos últimos anos, incluindo balanços patrimoniais, demonstrativos de resultados e relatórios de fluxo de caixa. O objetivo é identificar tendências nas receitas, custos fixos e variáveis, e outros indicadores financeiros importantes. Por exemplo, se uma clínica identifica um aumento nas receitas durante os meses de inverno devido a um pico nas consultas de gripe e resfriado, essa informação é vital para a projeção financeira futura.

Aplicação Prática

Para aplicar a análise histórica das finanças na prática, siga estes passos:

  1. Revisão Detalhada dos Dados Históricos: Analise os dados financeiros dos últimos anos para identificar tendências de crescimento ou declínio nas receitas e despesas.

  1. Identificação de Padrões Sazonais: Marque no calendário os períodos de maior demanda por serviços médicos e outros padrões observados nos dados.

  1. Ajuste de Projeções Financeiras: Use essas informações para ajustar suas projeções financeiras, considerando os períodos de alta e baixa na demanda por serviços.

  1. Planejamento Estratégico: Desenvolva estratégias para maximizar as receitas durante os picos de demanda e minimizar os impactos financeiros durante os períodos de baixa.

2. Modelagem Financeira

Essa técnica possibilita aos gestores visualizar o impacto de diferentes variáveis no desempenho financeiro da clínica, facilitando decisões estratégicas mais informadas. Abaixo vamos explorar como criar modelos financeiros e a importância de considerar variáveis críticas como o crescimento de pacientes, a expansão de serviços e o aumento de custos.

Criando Modelos Financeiros Baseados em Cenários Variados

A criação de um modelo financeiro começa com a definição clara dos objetivos que você deseja alcançar. Isso pode variar desde a avaliação da viabilidade de expandir a clínica até a análise do impacto de novas contratações no orçamento. Aqui estão os passos fundamentais para a construção do seu modelo:

  • Coleta de Dados Históricos: Reúna dados financeiros passados para estabelecer uma base para suas projeções. Isso inclui receitas, despesas, fluxo de caixa e outros indicadores financeiros relevantes.

  • Definição de Premissas: Estabeleça premissas para o seu modelo, como taxas de crescimento esperadas para pacientes, preços de serviços, custos operacionais e inflação.

  • Desenvolvimento de Projeções: Utilize as premissas para projetar receitas, despesas e fluxo de caixa futuros. Software especializado em modelagem financeira pode ajudar a automatizar e simplificar esse processo.

  • Análise de Cenários: Crie cenários “o que se” para avaliar o impacto de diferentes variáveis no desempenho financeiro da clínica. Isso pode incluir cenários otimistas, pessimistas e mais prováveis.

A Importância de Considerar Variáveis Críticas

Crescimento de Pacientes: O aumento ou diminuição no número de pacientes afeta diretamente as receitas. Modelar diferentes taxas de crescimento permite avaliar como variações na atração e retenção de pacientes impactam as finanças.

Expansão de Serviços: A introdução de novos serviços pode ser uma fonte significativa de receita, mas também exige investimentos iniciais e possíveis aumentos nos custos operacionais. Modelos financeiros ajudam a determinar o ponto de equilíbrio e o retorno esperado desses investimentos.

Aumento de custos: Custos com salários, aluguéis e insumos médicos tendem a crescer ao longo do tempo. Incluir essas estimativas nos modelos financeiros é crucial para manter a sustentabilidade financeira da clínica.

3. Método do Valor Presente Líquido (VPL)

O Valor Presente Líquido (VPL) é uma técnica financeira avançada utilizada para avaliar a viabilidade de investimentos a longo prazo, seja na aquisição de novos equipamentos, expansão das instalações ou implementação de novas tecnologias em clínicas e consultórios médicos. O VPL ajuda a determinar o valor atual de uma série de fluxos de caixa futuros, descontados a uma taxa que reflete o custo de oportunidade do capital. Vamos detalhar o cálculo do VPL e exemplificar sua aplicação prática.

Cálculo do VPL

Para calcular o VPL, você precisa:

  • Estimar os Fluxos de Caixa Futuros: Identifique todos os fluxos de caixa esperados do projeto, incluindo receitas adicionais e economias de custos, bem como despesas e investimentos iniciais.

  • Determinar a Taxa de Desconto: A taxa de desconto deve refletir o custo de capital da clínica ou o retorno mínimo exigido. Esta taxa é usada para “descontar” os fluxos de caixa futuros.

  • Calcular o VPL: O VPL é calculado somando os valores presentes de todos os fluxos de caixa futuros, incluindo o investimento inicial (que é um valor negativo), usando a fórmula:
fórmula do VPL

Onde:

FCt = Fluxo de caixa no tempo t

r = taxa de desconto

t = período de tempo

I0 = Investimento inicial

Um VPL positivo indica que o projeto gera valor acima do custo de capital, tornando-o um investimento viável, enquanto um VPL negativo sugere o contrário.

Exemplo

Imagine que uma clínica está considerando investir em um novo sistema de prontuário eletrônico, com um custo inicial de R$ 100.000. Estima-se que o sistema resulte em uma economia de custos e um aumento de receita que soma um fluxo de caixa anual de R$ 30.000 durante 5 anos. Usando uma taxa de desconto de 5%, o VPL do projeto seria calculado como:

exemplo de cálculo do VPL

Se o VPL for positivo, isso indica que o investimento no novo sistema de prontuário eletrônico adiciona valor à clínica acima do custo de capital de 5%.

métodos de projeção financeira para clínicas

4. Orçamento Base Zero

O Orçamento Base Zero é uma abordagem de planejamento financeiro que reinicia o processo orçamentário de uma organização a partir do zero a cada período fiscal. Diferente dos métodos orçamentários tradicionais, que partem dos gastos do ano anterior como base, o orçamento base zero exige que cada despesa seja justificada e aprovada para o novo período, independentemente dos valores ou aprovações anteriores. Esta seção explora o conceito de orçamento base zero e como ele pode ser empregado para reavaliar despesas, além de destacar os benefícios dessa abordagem na otimização de recursos financeiros em clínicas e consultórios médicos.

Como Utilizar o Orçamento Base Zero para Reavaliar Despesas

  1. Identifique Todas as Despesas: Comece listando todas as despesas operacionais e de capital, agrupando-as em categorias lógicas.

  2. Justifique Cada Despesa: Para cada item de despesa, justifique sua necessidade e contribuição para os objetivos da clínica. Isso pode envolver a avaliação da eficiência de custos, a análise do retorno sobre o investimento (ROI) e a consideração de alternativas mais econômicas.

  3. Priorize os Gastos: Classifique as despesas com base na sua importância estratégica e no seu impacto nos serviços ao paciente. Isso ajuda a identificar áreas onde os cortes podem ser feitos sem prejudicar a qualidade do atendimento.

  4. Defina o Orçamento: Com base nas justificativas e prioridades, aloque recursos financeiros às despesas aprovadas, mantendo um foco estrito na otimização do uso dos recursos.

Adotar o orçamento base zero pode ser um passo transformador para clínicas e consultórios médicos buscando otimizar seus recursos financeiros. Ao desafiar as suposições sobre as despesas e exigir uma justificativa detalhada para cada item de gasto, as organizações podem identificar eficiências, cortar custos desnecessários e direcionar seus investimentos para áreas que geram maior valor. 

5. Benchmarking e Análise Competitiva

Benchmarking e análise competitiva são ferramentas essenciais para clínicas e consultórios médicos que buscam prosperar em um ambiente de saúde competitivo. Essas estratégias envolvem a comparação da performance financeira e operacional da sua clínica com padrões do setor e concorrentes diretos. Este processo ajuda a identificar áreas de melhoria, otimizar custos e adotar práticas que podem levar a uma vantagem competitiva sustentável.

O benchmarking permite que gestores de clínicas e consultórios médicos avaliem como sua organização se compara aos líderes do setor e aos concorrentes em uma variedade de indicadores de desempenho chave (KPIs). Esses indicadores podem incluir eficiência operacional, satisfação do paciente, custos de operação, receita por paciente, entre outros. Ao entender onde sua clínica se destaca e onde há espaço para melhoria, você pode desenvolver estratégias direcionadas para aprimorar seu desempenho.

Implementando o Benchmarking e Análise Competitiva

  1. Seleção de KPIs Relevantes: Escolha indicadores de desempenho que são mais relevantes para as metas estratégicas da sua clínica.

  2. Coleta de Dados: Utilize relatórios do setor, pesquisas de mercado e análises financeiras para coletar dados sobre concorrentes e benchmarks do setor.

  3. Análise Comparativa: Compare seu desempenho com os dados coletados, identificando áreas de destaque e oportunidades de melhoria.

  4. Plano de Ação: Desenvolva e implemente um plano de ação focado em áreas críticas identificadas durante a análise, estabelecendo metas claras e prazos para a melhoria.

Estas ferramentas são essenciais para manter a competitividade e assegurar o crescimento sustentável da sua clínica.

Facilite a projeção financeira da sua clínica com a GestãoDS

Entendemos que a implementação desses métodos pode ser desafiadora, especialmente quando se trata de gerenciar a complexidade das finanças de uma clínica ou consultório. É aqui que a GestãoDS se destaca, oferecendo uma solução de software médico projetada para simplificar e otimizar todos os aspectos da gestão financeira e operacional da sua clínica.

Com funcionalidades como prontuário eletrônico, agenda médica e gestão financeira, o software da GestãoDS é a ferramenta ideal para clínicas e consultórios que buscam prosperar. Além disso, nosso suporte técnico rápido, que atende em menos de 60 segundos, e o treinamento completo do sistema após a contratação, garantem que sua equipe esteja sempre pronta e capacitada para tirar o máximo proveito do software.

Convidamos você a conhecer melhor o software da GestãoDS e descobrir como ele pode ajudar na implementação eficaz das técnicas financeiras discutidas. Agende uma demonstração hoje mesmo e dê o primeiro passo para transformar a gestão financeira da sua clínica.

Felipe Ravanello
Felipe Ravanello

Sócio fundador e Diretor de Negócios e Crescimento da GestãoDS, sistema de gestão para clínicas e consultórios médicos com mais de 10 mil usuários ativos em todo o país. É mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Host do podcast Prontuário de Gestão.